ALAYDE SANTOS-Etiqueta Social, Empresarial e Internacional

ALAYDE SANTOS-Etiqueta Social, Empresarial e Internacional
agosto 30 16:56 2012 Print This Article

ALAYDEIPC – International Procurement & Consulting – ALAYDE SANTOS

Alayde Santos fala sobre marketing pessoal e como construí-lo de maneira eficiente. Marketing Pessoal e Etiqueta são assuntos interligados. Mas é necessário saber que também existem diferenças entre eles. O Marketing Pessoal é fazer com que a personalidade e a apresentação física trabalhe a seu favor, sem ser criado em cima de coisas falsas.

Confira essa dicas de marketing pessoal e etiqueta com Alayde Santos e aplique no seu dia-a-dia profissional.

Dicas de comportamentos em reuniões sociais


Em reuniões sociais é comum cometermos algumas gafes antes, durante e depois do evento, por isso é importante que tenhamos bom senso e atitudes corretas para não dar vexame em nenhuma festa, comprometendo a nossa imagem.

1. Ao recusar um convite, fale a verdade ou dê uma desculpa atenciosa, mas nunca em cima da hora. Dê tempo para que os anfitriões se reorganizem.
2. Antes de levar algum acompanhante, pergunte ao dono da festa com antecedência se pode.
3. Se você for o acompanhante, peça para ser apresentado aos anfitriões e agradeça por estar podendo participar e que sente muito prazer em conhecê-lo.
4. Ao receber o convite, se não estiver claro, pergunte se é aniversário do dono da festa. Se for, não esqueça o presente.
5. Quando a reunião for um jantar, não se atrase.
6. Se no convite não ficou claro, ligue antes para perguntar qual o tipo de traje mais apropriado.
7. Desligue o telefone celular durante a festa. Se tiver que usá-lo, peça licença à pessoa que está ao seu lado, saia e escolha um lugar reservado.
8. Não fale muito alto, nem dê gargalhadas espalhafatosas. Você não deve aparecer mais que o dono da festa.
9. Não beba demais ou de estômago vazio para não dar vexame.
10. No dia seguinte, você pode ligar para os anfitriões para agradecer a festa ou mandar flores com um cartão agradecendo o jantar.

 O Cartão de Visitas

Fundamental no dia-a-dia de qualquer profissional, o cartão de visitas costuma ser negligenciado por muita gente — o que é um erro. O cartão é um item importante da imagem do profissional, pois ajuda a estabelecer um contato mais próximo com seu interlocutor, facilitando o relacionamento e, muitas vezes, viabilizando futuros contatos.

Desculpas como “meu cartão acabou” ou “esqueci no escritório” passam uma imagem de desleixo e falta de profissionalismo. Inspire-se no exemplo dos japoneses e chineses que valorizam tanto essa forma de contato que costumam receber os cartões de visita segurando-os com as duas mãos. Veja algumas dicas para não fazer feio na hora de entregá-lo ou recebê-lo:
1. Em um encontro de negócios, nunca se deve sair distribuindo cartões a torto e a direito. Deve-se entregar apenas a uma pessoa que se acabou de conhecer e que se tenha interesse em contatos futuros.
2. Se alguém lhe entregou um cartão de visitas, retribua com o mesmo gesto.
3. Ao receber um cartão, leia o que nele está escrito e se atenha ao nome da pessoa. Nada mais deselegante do que receber um cartão, guardá-lo no bolso sem ler e depois perguntar o nome do interlocutor.
4. Ao falar com um jornalista, dê a ele o seu cartão logo no começo da conversa para que o nome seja mencionado corretamente na matéria a ser publicada.
5. Se houver qualquer mudança nos seus dados pessoais — nome, endereço, número de telefone ou e-mail —, jogue fora seus cartões e mande fazer novos. Não rasure ou rabisque os antigos para aproveitá-los.
6. Não dobre a ponta do cartão. É um hábito antigo que caiu em desuso — hoje, aliás, é sinal de deselegância.

Viajando a negócios

Quando um profissional viaja, ele se torna uma espécie de embaixador da empresa. É do tamanho desse título que fica a sua responsabilidade. Tudo o que fizer será usado contra ou a favor não apenas dele, pessoa física, mas também da empresa em que trabalha. Veja algumas dicas para essas ocasiões:
1. Defina bem a razão da viagem e o seu objetivo principal.
2. Informe-se sobre a empresa que está visitando (porte, faturamento anual, tempo no mercado).
3. Conheça os hábitos e os costumes da região a ser visitada.
4. Dê chance ao visitado para que mostre sua empresa, projetos e investimentos.
5. Mostre satisfação com a oportunidade da visita.
6. Seja pontual em todas as ocasiões. Não há justificativas para atrasos em viagens de negócios.
7. Seja simpático, mas não informal em excesso. Não fale nem pergunte sobre a vida pessoal de ninguém e não tente “pescar” informações confidenciais da empresa.

ETIQUETA: Ao telefone fixo

Todas as pessoas que atendem ao telefone dentro de uma empresa deveriam receber um treinamento adequado sobre como falar corretamente. Quando atendemos ao telefone, provavelmente estamos lidando com clientes e fornecedores. Ao falarmos ao telefone, estamos transmitindo um cartão de visita da Empresa. Além disso, involuntariamente outras pessoas a sua volta estarão ouvindo sua conversa. Ao telefone, não devemos fazer uso de algumas expressões inadequadas, como chuchu, meu bem, querida, fofa, paixão, gatinha, bonitinha, bela… Procure ser solícito e resolver o problema de quem está ligando. Lembre-se: você nunca sabe com quem está falando, portanto, capriche: seja gentil e simpático para deixar uma boa impressão sua e de sua empresa.

ETIQUETA: Ao celular

O polêmico aparelho telefônico que fica sempre conosco cria um vínculo vicioso de dependência que precisamos discernir a melhor maneira para utilizá-lo sem causar desconforto e desrespeito humano. Antigo símbolo de status, esse aparelhinho é útil e prático, considerado uma necessidade e comodidade por muitos, ele também é um meio de transações comerciais, gerando lucros e por isso muitas vezes é colocado em primeiro lugar, sendo a sua utlilização desrespeitosa e gananciosa.  Ter um celular é confortável mas deve ser usado com parcimônia e consideração com os circunstantes, tendo a observância para algumas regras do bom uso gerador de civilidade:
● Ao se falar ao celular, é comum aumentarmos o tom de voz. Procure falar baixo. Seja discreto, afinal, a conversa só interessa a você e a quem está do outro lado da linha.
● Antes de atender uma ligação, caso esteja na presença de pessoas, peça licença e atenda discretamente.
● Quando for efetuar uma ligação, informe o seu nome e cumprimente o interlocutor e somente depois fale sobre o assunto desejado.
● Quando alguém iniciar um diálogo muito longo para o qual você não deseja escutar, peça liçença informando a pessoa que posteriormente fará contato com ela e exponha motivos ou combine outro horário para a ligação.
● Respeite os horários: ligar depois das 8h e antes das 22h; somente são autorizadas ligações fora deste horário a pessoas íntimas, em caso de urgência ou contato pré-estabelecido.
● Lembre-se de quando estiver com pessoa e atender a ligação do celular, não alongar a conversa pela inconveniência em deixar alguém por muito tempo esperando.
● Não atenda o celular quando estiver em audiência solicitada por você. É falta de consideração com a pessoa que lhe reservou um tempo para atendê-lo.
● No carro em movimento.
● Em reuniões, no teatro, cinemas, consertos.
● A regra diz que também não podemos atendê-lo em mesa de restaurante, andando na rua e na praia, porque atrapalhamos o sossego das outras pessoas que estão ali para divertirem-se e não ficar escutando conversas e também pela falta de atenção que oferecemos a quem está ao nosso lado e por motivo de segurança pela distração em andar falando num celular. Acredito que o nosso bom senso adaptará esta regra nos dias de hoje.
● O celular pode ser atendido no trabalho, em casa de amigos, em cafés, em bares, no carro quando estiver parado, em salas de espera, lojas, em filas, em corredores, etc..

Estamos progredindo muito no campo das telecomunicações, ganhando conforto, rapidez de mensagens, eficiência nos negócios, mas devemos atentar para o direito de privacidade e respeito ao próximo.

Sempre que estiver em ambiente de negócios, desligue o celular. Caso esteja aguardando uma ligação importante, avise com antecedência aos demais e peça licença para atender a ligação. Afaste-se do local e seja breve. Nunca ligue para o celular de seus clientes para vender produtos ou serviços. É deselegante e também invasão de privacidade, causa uma impressão negativa de você e de seus negócios, uma vez que celular é considerado algo de uso particular, então procure sempre contatar seus clientes no telefone comercial. Lembre-se: a finalidade do celular é agilizar sua comunicação com o mundo, mas não se transforme num escravo do aparelho. É importante agir com elegância, discrição e, sobretudo ética na comunicação, sendo mais um passo importante para seu sucesso.

Formalidades e protocolos

Eventos oficiais, com a presença de autoridades do governo e das Forças Armadas e membros do Corpo Diplomático, são regidos por normas protocolares, muitas vezes desconhecidas pela maioria das pessoas. O protocolo oficial é regido pelo decreto nº 70.274, de 9 de março de 1972, e estabelece as precedências e o tratamento que deve ser dispensado aos convidados para eventos no Distrito Federal, nos estados e municípios, em decorrência do título e da função exercida.

Sempre que num evento for estar presente qualquer autoridade governamental, é importante consultar o protocolo oficial.

Nos atos inaugurais, Jubileus, entrega de condecorações, descerramentos de placas e aberturas de feiras, realizados com todos em pé, os membros mais destacados e convidados de honra são colocados segundo a ordem de precedências. Os demais devem aguardar para serem devidamente posicionados pelo staff que estiver organizando o evento.

Em eventos de auditório nunca se sente na primeira fileira de poltronas da platéia, pois ela é considerada um prolongamento da mesa de honra e poderá estar reservada para autoridades presentes ou retardatárias.

Consta do decreto que em eventos com a presença do Presidente da República e do Governador de Estado, todos os convidados devem chegar antes deles e só saírem depois que eles o fizerem.

Almoços e jantares não admitem que se enviem representantes – só o convidado deve comparecer ou recusar o convite formalmente.

A ordem de discursos e pronunciamentos será sempre inversa à de precedência, ficando a última palavra reservada à pessoa mais importante da solenidade.

Num documento ou contrato existe o lugar de honra para a assinatura: fica à direita do papel, e quem assina é a pessoa mais importante.

O lugar de honra em qualquer evento é o que fica à direita do anfitrião ou do executivo mais graduado. O segundo lugar de honra é o que fica à esquerda do anfitrião.

No aeroporto, quem desembarca em primeiro lugar numa comitiva é a pessoa mais importante. Ao embarcar, ela é a ultima pessoa a entrar no avião.

Em jatos particulares, os lugares virados para a frente e que possuem mesas são reservados aos executivos mais graduados. Os demais devem perguntar antes onde devem se sentar.

No carro guiado por um motorista particular a serviço do anfitrião, o lugar de honra é à direita, no banco de trás. Neste caso, quem entra primeiramente é o convidado; o anfitrião dá a volta e entra pela outra porta. Ao sair, quem desce primeiro é o anfitrião, e se o motorista não puder abrir a porta para o convidado, ele poderá fazê-lo.

Nas limusines, os menos graduados é que se sentarão nos lugares de costas para o fluxo. Se estiverem ocupados por executivos de maior hierarquia, os menos graduados irão na frente com o motorista. Nestes carros, o convidado descerá por último, após o motorista abrir a porta. Em veículos guiados pelo próprio executivo, o lugar de honra é na frente, ao seu lado.

A postura correta ao ser executado o Hino Nacional Brasileiro é respeitosa, portanto, devemos ficar em pé. Antigamente, o Hino só era aplaudido após ser tocado por uma orquestra sinfônica ou banda. Atualmente, virou moda aplaudir até execuções em CD… Mas saiba que esse procedimento não está mencionado nas modalidades legais de saudação ao nosso Hino. Cumpre também conhecer a letra e cantá-lo corretamente.

Se na solenidade a presença de convidados de outro país exigir a execução de hino estrangeiro, ele deve ser tocado antes do brasileiro. Postura de igual respeito é devida.

Havendo hasteada no recinto a bandeira nacional, aqueles que cantam o Hino devem fazer isso voltados à ela, nunca de costas.

Em elevadores, subindo ou descendo com autoridades, o correto é deixar que entrem primeiramente e fiquem na parte de trás. Chegando ao andar, os de menor hierarquia saem na frente, posicionando-se do lado de fora e aguardando que as autoridades passem à frente. Seguirão, então, atrás delas.

Obedeça sempre às recomendações de trajes assinaladas nos convites e nunca deixe de confirmar sua presença, quando o convite assim solicitar, geralmente com as siglas “RSVP” ou “RO”.

Esteja também sempre presente ao lado de seus amigos e colegas de trabalho quando estes sofrerem perdas de entes queridos. Esta é uma parte importante dos relacionamentos sociais e profissionais.

Devem comparecer aos velórios somente os familiares, os amigos e colegas de trabalho mais próximos e pessoas ligadas à família do morto. Quem comparecer deve assinar o livro de presenças, colocando o nome bem legível, assim como o endereço. A família enlutada deverá enviar um cartão de agradecimento aos que lhes deram apoio nessa ocasião. Aqueles que mantinham relacionamento mais distante com o falecido ou com a família devem ir à missa de sétimo dia. Durante o velório, não é adequado ficar recordando passagens da vida do falecido e nem se deter em cumprimentos demorados com os parentes. Hoje em dia, nas grandes cidades, por temer assaltos, é de praxe fechar a câmara mortuária durante a madrugada – todos se retiram e voltam ao amanhecer. Havendo velório por toda a noite, os amigos e parentes devem se revezar, fazendo companhia à família e não deixando-a sozinha em horas mais tardias.

Para os funerais, valem os mesmos procedimentos adotados no velório. Os parentes carregam o ataúde e podem ser ajudados por amigos mais chegados. As saudações mais indicadas para estes momentos é “Meus sentimentos” ou “Lamento tanto!”. Estas expressões vieram substituir o rígido e formal “Meus pêsames!”. Quando não se tem intimidade com o falecido ou com a família, envia-se um telegrama de condolências.

A empresa deve dar toda assistência aos funcionários, principais fornecedores e clientes fiéis nessas ocasiões e, sempre que possível, enviar coroas.

É comum amigos se quotizarem para a publicação de anúncios nos obituários dos jornais.

A família não deve deixar de agradecer as manifestações recebidas por meio de um cartão, que traz uma tarja preta no alto, à esquerda.

Recomendamos, também, que as mulheres adotem uma vestimenta discreta, abrindo mão de qualquer detalhe mais chamativo na aparência. O luto é opcional hoje em dia, ficando mais restrito aos familiares

 

MARKETING PESSOAL

Tanto em aspectos visuais, de comunicação e de conhecimento, quanto em outros aparentemente secundários, pequenas diferenças podem determinar o sucesso ou o fracasso. Talvez seja um modelo injusto, mas a realidade é que este é o modelo em que transitamos. O reconhecimento de competências e habilidades é fundamental para diferenciar e situar um indivíduo no contexto social em que vive e determina, em grande parte, a maneira como ele estará posicionado para o sucesso profissional e pessoal.

É fato que nem todos possuem as mesmas competências e habilidades. Porém, muitos as possuem e, por uma série de fatores, elas não são facilmente reconhecíveis. E habilidades encobertas geram uma grande desvantagem, especialmente quando a competição é acirrada. Todos já se perguntaram: porque fulano de tal, sendo menos preparado, menos hábil, menos esforçado e experiente, galgou sucesso pessoal ou profissional maior do que o nosso? Talvez uma das respostas seja a prática do Marketing Pessoal.

Marketing Pessoal pode ser definido como uma estratégia individual para atrair e desenvolver contatos e relacionamentos interessantes do ponto de vista pessoal e profissional, bem como para dar visibilidade a características, habilidades e competências relevantes na perspectiva da aceitação e do reconhecimento por parte de outros.

Foi-se o tempo em que marketing pessoal era um instrumento político, falso, visando apenas uma conquista específica. Hoje, para avançar em meio à verdadeira selva social em que se transformou o capitalismo, ele vem se tornando uma ferramenta cada vez mais necessária para todos, do mais simples ao mais sofisticado.

Os elementos fundamentais, quando se atesta que o caminho do sucesso é a prática do marketing pessoal, são:
– A qualidade do posicionamento emocional para com os outros
– A comunicação interpessoal
– A montagem de uma rede relacionamentos
– O correto posicionamento da imagem
– A prática de ações de apoio, ajuda e incentivo para com os demais

Posicionamento emocional pode ser definido como sendo a forma com que as pessoas se lembrarão de um individuo. Algumas pessoas se recordam de outras pela maneira cortês, positiva e educada como foram tratadas, pela sinceridade e zelo com que tiveram o contato, enfim, pelas emoções positivas que remetem à imagem de outrem. Ao contrário, há pessoas que deixam uma imagem profundamente negativa, mesmo que o contato interpessoal tenha sido curto.

Assim, a prática do marketing pessoal deverá ser responsável por um grande cuidado na maneira como se dão os contatos interpessoais. São fundamentais para isso atitudes que remetam à atenção, simpatia, assertividade, ponderação, sinceridade e demonstração de interesse pelo próximo, de uma forma autentica e transparente. Reza uma máxima do marketing pessoal: atenção personalizada a quem quer que seja nunca é investimento sem retorno.

A comunicação interpessoal pode ser definida como sendo o grande elo que destaca um individuo em meio à massa. Quando ele fala, quando se expressa por escrito ou oralmente, quando cria vínculos de comunicação continuada, o individuo externa o que tem de melhor em seu interior. Assim, usar um português correto e adequado a cada contexto, escrever bem, vencer a timidez, usar diálogos motivadores e edificantes e manter um fluxo de comunicação regular com as pessoas é básico para um bom desenvolvimento do marketing pessoal. Temos sempre a tendência de ver as pessoas que se comunicam bem como líderes no campo em que atuam.

Rede de relacionamentos pode ser definida como uma teia de contatos, nos mais variados níveis, fundamentais para o individuo se situar socialmente, tanto de forma vertical (com relações em plano mais elevado que o seu) quanto horizontalmente (com seus pares, em plano semelhante). Quando se fala em rede de contatos, dois desafios surgem imediatamente: dimensionar os relacionamentos de forma plural, isto é, ser capaz de se relacionar em qualquer nível, tornando-se lembrado por todos de forma positiva; e manter a rede de contatos, enviando mensagens periodicamente, fazendo-se presente em eventos sociais e tratando aos outros com atenção e cordialidade. 

Posicionamento de imagem pode ser definido como uma adequação visual ao contexto social. É fato que a sociedade hipervaloriza a imagem e, exageros à parte, o princípio do cuidado visual precisa ser analisado realisticamente. Assim, o traje correto e adequado ao momento, a combinação estética de peças, cores e estilo, bem como os cuidados físicos fundamentais (o corte do cabelo, a higiene, a saúde dentária, etc.) são importantes para uma composição harmônica e atrativa da imagem.

Finalmente, a prática de ações de apoio, ajuda e incentivo para com os demais é o grande elemento do marketing pessoal e, como destaque social, a melhor forma de galgar um lugar nas mentes e corações dos que nos cercam. Não é preciso dizer que apoiar, ajudar e incentivar as pessoas deve ser um conjunto de atitudes sinceras, transparentes e baseadas no que se tem de melhor. Até porque ações meramente aparentes são facilmente detectadas e minam a essência do marketing pessoal verdadeiro. O segredo, portanto, é sempre se perguntar: de que maneira posso ajudar? De que forma posso apoiar? Como posso incentivar o crescimento, o progresso e o bem-estar do próximo?

Quando bem praticado, o marketing pessoal é uma ferramenta extremamente eficaz para o alcance do sucesso social e profissional. E o melhor é que, além de beneficiar que o pratica, ele também proporciona bem estar para os que estão ao redor.

Que tal mudar alguns velhos paradigmas e repensar o nosso próprio marketing pessoal?

 

http://www.alaydesantos.com.br/

http://www.youtube.com/watch?v=ID_cHj_Ce1U&feature=g-upl

view more articles

About Article Author

Fernando
Fernando

Consultor e empresário Fernando Francisco , que atua na área de comunicação e de tecnologia de informação. Formado em TI, se especializou em administração e na implantação de soluções e de sistemas de gerenciamento e controle de produtividade . Atua a vinte anos como consultor de empresas e palestrante, dedicando atualmente os seus temas na área de orientação administrativa para pequenas empresas e a iniciativas empreendedoras .

View More Articles
write a comment

0 Comments

No Comments Yet!

You can be the one to start a conversation.

Add a Comment

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.